terça-feira, 8 de março de 2016

Classificação do Perfil

A classificação de um solo se inicia com a descrição do seu perfil representativo, ou seja, descrição de características identificadas no campo (características morfológicas) e coleta de material para análises de laboratório, que estão relacionadas à sua gênese e pela descrição da paisagem que ele ocupa no ecossistema.

Perfil do Solo:

Os solos são definidos como corpos naturais independentes, constituídos de materiais minerais e orgânicos, organizados em camadas e/ou horizontes.
A unidade básica do solo é chamada de pedon, do grego que significa solo, terra. Ela vai da superfície ao material de origem (Figura 1) e se constitui na menor porção tridimensional, perfazendo um volume mínimo que possibilite estudar o solo.
 
Figura 1: Pedon – Esquema dos horizontes do perfil de solo.
Fonte:http://commons.wikimedia.org/wiki/Image:Soil_profile.jp

A face do pedon é chamada de perfil de solo. O perfil do solo é utilizado para fins de exame, descrição, coleta do solo e classificação dentro de um Sistema organizado de Classificação dos solos.
As características e dados do perfil do solo identificadas ou resultantes de análises de laboratórios são comparados a atributos diagnósticos definidos pelo SiBCS, utilizando a Chave do Sistema Brasileiro de Classificação dos Solos (SiBCS).
O usuário deverá entrar e prosseguir na Chave para classificar o solo mediante a comparação dos aspectos individuais verificados no perfil do solo, por meio de atributos e horizontes diagnósticos, com os critérios estabelecidos pelo Sistema Brasileiro de Classificação dos Solos (SiBCS).
No entanto, antes de entrar na chave é necessário identificar, em primeiro lugar, o horizonte diagnóstico superficial e o subsuperficial, pois o 1° nível categórico é fundamentado na presença ou ausência destes horizontes e de atributos ou propriedades adicionais reconhecíveis no campo.
Algumas definições são importantes para o usuário classificar o perfil do solos a partir da chave do SiBCS:

- Atributos e Horizontes Diagnósticos
 
Atributos diagnósticos referem-se às características e propriedades próprias do objeto em estudo e que lhe conferem individualidade. No Sistema Brasileiro de Classificação dos Solos (SiBCS), os atributos são definidos como diagnósticos e estão relacionados a características e propriedades identificadas no perfil do solo, no campo, ou analisadas em laboratório. Denominam-se atributos adicionais ou complementares, as características ou propriedades dos solos que possam ser identificadas no campo ou inferidas de outras propriedades determinadas por análises de laboratórios. A coleção de atributos abrange não só características inerentes, como por exemplo, a constituição mineralógica da argila, a textura, bem como propriedades manifestadas, que não fazem parte de sua essência, mas dizem respeito às respostas, a estímulos exercidos (comportamento ou reação evidenciada), como a cor, a consistência no estado molhado, a capacidade de troca de cátions e outros mais.Horizonte ou camada são definidos como uma seção horizontal do perfil do solo, sendo demarcados de acordo com as variações morfológicas como as de cor, estrutura, textura, consistência, presença ou ausência de cascalho, nódulos e concreções entre outros. 

Horizontes diagnósticos

São classificados como horizonte diagnóstico ou pedogenético quando atendem, dentro de uma profundidade de ocorrência, para fins de definição da seção de controle, os critérios estabelecidos pelo Sistema Brasileiro de Classificação dos Solos (SiBCS). A coleção de atributos identificados nestes horizontes abrange não só características inerentes como a constituição mineralógica da argila, a textura, mas também, propriedades que não fazem parte de sua essência, mas dizem respeito a respostas e estímulos (comportamento ou reação evidenciada), como a cor, a consistência no estado molhado, a capacidade de troca de cátions e outros mais. Desta forma, todas as características morfológicas são relevantes para a caracterização e a classificação do solo, mas, algumas são particularmente indispensáveis, para definir horizontes diagnósticos no Sistema Brasileiro de Classificação de Solos como a cor úmida e seca dos horizontes superficiais (do A e do E) e as cores úmidas dos horizontes subsuperficiais, conforme a caderneta de cores Munsell, estrutura, consistência, transição de horizontes, cerosidade, nódulos, concreções, slickensides, superfícies de compressão e outras. Também, são igualmente importantes, as anotações quanto ao fendilhamento do solo, presença de micro-relevo (gilgai), cores de oxidação e redução, presença de lençol freático, camadas coesas ou compactadas, profundidade das raízes no perfil, atividade biológica ao longo do perfil e quaisquer ocorrências pouco usuais ou extraordinárias.

Tanto os atributos e horizontes diagnósticos como outros atributos complementares identificados no perfil do solo estão relacionados a características que melhor expressam a sua formação (gênese), e fornecem informações essenciais para o manejo e uso agrícola dos solos dos quais são representativos.
 
FONTE: EMBRAPA 
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...