segunda-feira, 14 de março de 2016

Citação direta e indireta - como fazer?


Impressionantemente, após pelo menos quatro anos cursando a graduação, ainda há estudantes que saem das universidades sem saber como desenvolver a fundamentação teórica do tão temido TCC. E ele só é tão temido justamente por esse motivo: os estudantes chegam lá no final do curso com pouquíssima noção de que bicho é esse. Mais alarmante ainda é saber que essa realidade não ocorre apenas em nível de graduação: alunos de pós-graduação e mestrado também já chegaram à Textuar sem saber a diferença entre citação direta e indireta, por exemplo.

É claro que não cabe a nós questionar o porquê dessa realidade, pois estamos aqui para tentar resolver esses problemas ou pelo menos amenizá-los – motivo pelo qual sai esta postagem hoje.

Todo trabalho prático precisa de embasamento teórico, que nada mais é do que validar o ponto de vista do autor do trabalho, seja para aprovação ou reprovação de uma determinada ideia, conferindo-lhe credibilidade pelas referências citadas. Se você pretende desenvolver, por exemplo, um plano de marketing para uma determinada empresa, antes de chegar ao plano em si, é necessário verificar o que estudiosos dizem sobre o tema, entender o que é marketing exatamente, conhecer suas ferramentas, entre outras possibilidades. Fundamentar, então, será o ato de buscar em obras esses conhecimento e descrevê-lo em seu TCC. Mas como se faz isso?

Vamos lá!

Há duas formas de fazer uma citação, ou seja, de usar a informação de uma obra em seu TCC:

1) Citação direta: ocorre quando a cópia é feita de forma integral, idêntica ao texto de origem. Nesse caso, deve-se citar o último nome do autor, o ano de publicação da obra e o número da página de onde o trecho foi extraído.

As citações diretas de até três linhas devem estar contidas entre aspas duplas. Veja o exemplo.

Segundo Rónai (2012, p. 21), “pensa-se geralmente que a tradução fiel é a tradução literal, e que, portanto, qualquer tradução que não seja literal é livre”.

Em suma, “a fidelidade alcança-se muito menos pela tradução literal do que por uma substituição contínua. A arte do tradutor consiste justamente em saber quando pode verter e quando deve procurar equivalências” (RÓNAI, 2012, p. 24). 

Já as citações diretas com mais de três linhas devem ser destacadas com recuo de 4 cm da margem esquerda, com letra menor que a do texto  utilizado, sem as aspas e com espaçamento simples entre linhas. Confira no exemplo.

A teleconferência permite ao indivíduo participar de um encontro nacional ou regional sem a necessidade de deixar seu local de origem. Tipos comuns de teleconferência incluem o uso da televisão, telefone, e computador. Através de áudio-conferência, utilizando a companhia local de telefone, um sinal de áudio pode ser emitido em um salão de qualquer dimensão (NICHOLS, 1993, p. 181).

2) Citação indireta: ocorre quando é feita a paráfrase do texto original, ou seja, o trecho é reescrito com outras palavras, mas mantendo seu sentido. Pode-se dizer que é uma espécie de tradução dentro da própria língua. Nesse caso, deve-se citar o último nome do autor do texto e o ano de publicação da obra. O número da página é opcional (e raramente usado), e as aspas ou o recuo não são usados.
Veja os exemplos.

De acordo com Mattar (1996), a pesquisa bibliográfica é apropriada para os primeiros estágios da investigação quando a familiaridade, o conhecimento e a compreensão do fenômeno por parte do pesquisador são geralmente pouco ou inexistentes.

Os estudos exploratórios têm como principal característica a informalidade, a flexibilidade e a criatividade, e neles procura-se obter um primeiro contato com a situação a ser pesquisada (SAMARA; BARROS, 2002).

Algumas expressões usadas em citações para mencionar o nome do autor são:

- De acordo com Fulano (ano, p. xx), ...
- Segundo Fulano (ano, p. xx), ...
- Para Fulano (ano, p. xx), ...
- Fulano (ano, p. xx) afirma/declara que...
- Conforme Fulano (ano, p. xx), ...
- Nas palavras de Fulano (ano, p.xx), ...

Pronto! Viu como as citações não são lá um bicho de sete cabeças? 


Fonte: ABNT NBR 10520  

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...